SEGUIDORES

BEM-VINDOS

CAMINHANDO PARA A LUZ

MUITA PAZ !!!!!

Clique aqui e escolha o seu no Site TonyGifsJavas.com.Br

RÁDIO BOA NOVA. CLIQUE NA IMÁGEM

RÁDIO ESOTÉRICA FM

RÁDIO FM ESÓTERICA


RÁDIO MUNDO MAIOR , O ESPIRITISMO COM VOCÊ

http://www.radiomundomaior.com.br/player.html





CARIDADE

Páginas

CRIATURINHAS DIVINAS !!!!! EU AMO VOCÊS....

PAZ, AMOR, LUZ NESTE NATAL

http://static.ning.com/socialnetworkmain/widgets/index/swf/badge.swf?xn_version=124632088" FlashVars="backgroundColor=0x8F1E07&textColor=0xBFAB61&config=http%3A%2F%2Fsilviamota.ning.com%2Fmain%2Fbadge%2FshowPlayerConfig%3Fxg_source%3Dbadge%26size%3Dlarge%26username%3D3lxy4qmgiq44l" width="206" height="242" bgColor="#8F1E07" scale="noscale" allowScriptAccess="always" allowFullScreen="true" type="application/x-shockwave-flash" pluginspage="http://www.macromedia.com/go/getflashplayer">
http://silviamota.ning.com">Visit Poetas e Escritores do Amor e da Paz
Mostrando postagens com marcador Preconceitos e discriminações: sinais de atraso espiritual. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Preconceitos e discriminações: sinais de atraso espiritual. Mostrar todas as postagens

22 de setembro de 2013

Preconceitos e discriminações: sinais de atraso espiritual



Preconceitos e discriminações: sinais de atraso 


espiritual

Um dos mais salientes sinais de atraso espiritual - ainda fortemente presente neste planeta – 


é o preconceito

Embora seja socialmente constrangedor admitir que temos preconceitos, o fato é que os cultivamos lá no âmago do nosso ser. Raríssimos são aqueles que conseguem a proeza de respeitar os outros e as suas respectivas particularidades na mais ampla acepção da palavra.

 Paralelamente, as manifestações de intolerância, discriminação e estereótipos também grassam nas sociedades humanas.

Tais coisas representam verdadeiras chagas sociais e mesmo morais, já que denigrem o meio em que vivemos, bem como escancaram – de maneira estrepitosa – a nossa condição evolutiva inferior. O preconceito e a sua irmã dileta – a discriminação – têm causado muitos sofrimentos, assim como sérios comprometimentos cármicos.

Posto isto, cabe inicialmente distinguir o que são exatamente essas doenças sociais – assim as denominamos – com graves repercussões no bem-estar do espírito. Assim sendo, renomados cientistas sociais definem preconceito como os sentimentos negativos ou vieses direcionados a particulares grupos sociais como, por exemplo, negros, gays, lésbicas etc.

Por outro lado, os estereótipos são as nossas crenças estabelecidas – que geralmente primam pela falta de sabedoria – a respeito de determinados grupos sociais, tais como mulheres, trabalhadores mais velhos ou minorias étnicas.

 Nesse sentido, em decorrência da nossa deficiente formação cultural, social e religiosa, dificilmente conceberíamos a ideia de um membro da raça indígena, por exemplo, por mais apto que fosse, vir a ocupar a direção do Hospital das Clínicas (HC) em São Paulo.

 Em nossas mentes – impregnadas, não raro, por pensamentos e ideias intolerantes e inflexíveis – tal posição deve caber preferencialmente a uma pessoa do sexo masculino, no mínimo na faixa dos cinquenta anos de idade e já exibindo algumas cãs.

De maneira similar, seria um estrondoso choque para a maioria de nós ver um homem negro – por mais lustroso que fosse o seu currículo profissional, assim como o seu diploma de Master in Business Administration (MBA) – ocupar a presidência de certas empresas que operam no território brasileiro. A nossa forma estereotipada de enxergar o mundo – em resumo – determina em nossas mentes o que é “certo” ou “errado”, assim como o que é aceitável ou não. 

A partir daí, tomamos decisões e assumimos pontos de vistas nem sempre justos e corretos.

Finalmente, a discriminação refere-se à manifestação de um viéscomportamental injusto demonstrado contra determinadas pessoas. Por exemplo, (1) cidadãos mais velhos são sumariamente descartados para o preenchimento de determinadas vagas de trabalho por causa da sua idade, o que expressa conduta ageísta por parte do empregador; (2) trabalhadores obesos enfrentam igualmente grandes dificuldades de se recolocar em razão da sua aparência considerada fora dos “padrões estéticos”.


De qualquer maneira, os scholars consideram que um indivíduo pode a prioriser alvo de preconceito sem ser, no entanto, discriminado.

 Mas também é possível discriminarmos alguém sem sermos preconceituosos. No geral, o que prevalece é “o preconceito levando ao tratamento discriminatório e o tratamento discriminatório levando a atitudes preconceituosas”.

Portanto, trata-se de coisas extremamente negativas que brotam dos valores distorcidos ou das convicções infundadas que acalentamos, muito distantes de um ideal de igualdade, fraternidade e respeito que deveria imperar, de modo geral, nas relações humanas.

 O Espiritismo tem sólida posição a respeito do tema.

 Assim sendo, vejamos primeiramente a questão nº 799 de O Livro dos Espíritos (LE) (edição americana):

“Como pode o Espiritismo contribuir para a evolução humana? Pode ajudar a derrubar as ideias da filosofia materialista e assim fazer os seres humanos entenderem onde se encontram os seus reais interesses. 

Pode eliminar as dúvidas acerca da vida após a morte, de modo que as pessoas possam se sentir seguras a respeito do futuro. E pode ser vital em erradicar os preconceitos de religiões, classes sociais e raças. A doutrina irá, por fim, ensinar à humanidade a grande lição de irmandade sob a qual todos os homens e mulheres irão eventualmente viver em solidariedade”. (Ênfase nossa.) 
Afinal de contas, adotando a premissa da pluralidade das existências – embasada em evidências absolutamente concretas –, o Espiritismo ensina que o Espírito passará, na sua trajetória evolutiva, por muitas situações e papéis até que expurgue todas as suas imperfeições. Não faz sentido, à luz dos princípios espíritas, criticar e/ou discriminar uma pessoa por causa da cor da sua pele, orientação sexual, crença religiosa, aparência ou idade.

Mas como dissemos anteriormente, a discriminação e o preconceito existem e estão em toda parte. Vejamos, assim, alguns dados
:
·        Estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) projetam para o ano de 2010 haver, para cada grupo de 100 mulheres, 96,3 homens.

·        Em 2009 as mulheres ocupavam 43,9% da população economicamente ativa do país, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD).

·        No entanto, os homens, na média, ganhavam 21% mais do que as mulheres, conforme o relatório RAIS 2009 do Ministério do Trabalho.

·        Quando se analisa o grupo de trabalhadores com curso superior, a diferença é simplesmente brutal à medida que os homens percebem ganhos cerca de 72% superiores ao das mulheres (RAIS 2009).
·        Na média geral uma pessoa negra ganha -32% do que a branca e -4% do que a parda (RAIS 2009).

·        A trabalhadora negra, por sua vez, ganha -33% do que a branca (RAIS 2009).
·        As pessoas acima de 40 anos estão sub-representadas no conjunto total de empregados das 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar no país, publicado pelas revistas Você S/A e Exame.
·        Já os trabalhadores na faixa dos 50-64 anos de idade ocupam – no mesmo contingente de empresas citado – cerca de -25% das vagas do que a média do mercado para esse grupo etário.

·        As mulheres que vivem em países mulçumanos como o Afeganistão e o Paquistão são tratadas abaixo de certos animais, sendo agredidas pelos seus parceiros – culminando, não raro, com a completa deformação de seus rostos – de forma indiscriminada e sem punição.

Posto isto, a questão nº 201 do LE (edição brasileira), enfocando a orientação sexual, é assim abordado:

“Em nova existência, pode o Espírito que animou o corpo de um homem animar o de uma mulher e vice-versa? Decerto; são os mesmos os Espíritos que animam os homens e as mulhe
res”. (Ênfase nossa.)
Já na questão nº 202, o tema é mais bem explicado:

“Quando errante, que prefere o Espírito: encarnar no corpo de um homem, ou de uma mulher? Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar”. (Ênfase nossa.)
Por fim, Kardec acrescenta ainda que:

Os Espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo. Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social lhes proporciona provações e deveres especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência. Aquele que só como homem encarnasse só saberia o que sabem os homens”. (Ênfase nossa.)

Portanto, haveremos de nascer e renascer tantas vezes quanto necessário até assimilarmos as virtudes essenciais. Assim sendo, habitaremos em corpos e viveremos em contextos que nos conduzirão aos aprendizados imprescindíveis. 

Desse modo, as infindáveis discussões sobre qual dos sexos é mais inteligente, mais sensato, mais sensível etc., passam ao largo das verdades transcendentais e, por isso, são irrelevantes. Não passam de discussões rasas à luz da imortalidade da alma e da plasticidade do espírito.

Nesse sentido, o Espírito Irmão José nos esclarece que eventuaispreconceitos que alimentemos são demonstrações de limitações de nosso Espírito. Lembra-nos o benfeitor que embora estejamos a caminho da perfeição, “... falta-nos muito chão a percorrer”.

 Recomenda-nos ainda para não nos escandalizarmos “... diante das atitudes que nos causem estranheza”. Afinal, nenhum de nós é igual ao outro. “Não sabemos o que fomos e nem podemos prever o que seremos”, pondera o benfeitor. Por isso, devemos tratar a todos com respeito e consideração, já que também apreciamos receber, por nossa vez, esse tipo de tratamento. 

No mesmo diapasão, o Espírito Joanna de Ângelis ressalta que “Entre outros, a equanimidade constitui um valioso tesouro a ser adquirido, num estágio mais nobre da existência”. E acrescenta igualmente que:

“A equanimidade propõe que se estabeleçam vínculos de bondade e de respeito com os mais diferentes biótipos existentes, de forma que o bem esteja acima das vicissitudes e das lastimáveis consequências das ocorrências infelizes ou funestas”.

Por fim, Joanna de Ângelis observa que:

“A equanimidade oferece a medida exata de como proceder-se em relação ao próximo e de como reagir-se diante de fatos penosos, afligentes, mantendo-se sempre no mesmo estado de harmonia.”  
Noutra abordagem convergente, o Espírito Ermance Dufaux propõe a solução pela via da alteridade, considerando que “Nas abordagens filosóficas, a alteridade tem conotações de rara beleza e profundidade, demonstrando a importância da diversidade humana [...]”.

 Ela recorre à questão nº 804 do LE para consolidar a sua argumentação – ou seja: “Necessária é a variedade das aptidões, a fim de cada um possa concorrer para a execução dos desígnios da Providência, no limite do desenvolvimento de suas forças físicas e intelectuais”.

Lembra-nos Irmão José que Jesus “não se esquivava das prostitutas e dos homens de má vida”. Cabe ressaltar também que Jesus nos deu outros extraordinários exemplos de tolerância e inclusão social. Um dos mais marcantes foi o episódio da mulher samaritana. Destaca Cairbar Schutel que:

“Chegando Jesus a Sicar, a cidade da Samaria, repousou perto de Jacó, quando, à hora sexta (12h), uma mulher veio tirar água.

 O Mestre pediu-lhe de beber e ela admirou-se de lhe pedir água um ‘judeu’, porque os judeus não se comunicavam com os samaritanos, por motivos religiosos”.

“Jesus fez-lhe ver, então, que o dom’ de Deus era mais do que judeu, mais do que samaritano, e disse à mulher: “Se tu conhecesses o “dom” de Deus e quem que pede água, tu lhe terias pedido “água” e ele te daria, porque quem beber da “água” que eu lhe der, nunca mais terá sede” [...]”.  

Um outro exemplo fascinante foi relatado pelo Espírito Humberto de Campos. Conforme o autor espiritual, no começo do apostolado cristão havia – como em todos os agrupamentos humanos – uma exaltação natural por parte dos mais jovens.

 Eles vislumbravam em suas conversações levar a boa nova para todos os recantos do planeta. Nos seus impulsos juvenis imaginavam que companheiros como Pedro – premido pelas responsabilidades do lar – e Mateus – amarrado às obrigações de cada dia – pouco poderiam fazer.

Entretanto, Simão, “O Zelote”, algo mais velho, ouvia-os e temia não ser útil aos desafios do porvir. Afinal de contas, os anos já lhe pesavam sobremaneira no corpo e as suas energias já demonstravam certo esgotamento, embora o Espírito se conservasse atento.

 Assim sendo, com a autoestima meio conturbada, o velho pescador procurou o Mestre a fim de lhe rogar orientações.

O Mestre ouviu-o atentamente, embora já tivesse pleno conhecimento das tempestades que lhe intranquilizavam a alma. Resumidamente, esclareceu-o que “a existência humana é uma hora de aprendizado, no caminho infinito do Tempo...”. 

Além disso, argumentou que, sob a perspectiva intergeneracional, ambos jovens e idosos tinham obrigações e deveres para a manutenção do equilíbrio da vida em sociedade. 

A fim de motivar o velho apóstolo, alertou-o quanto à sua parte no esforço geral, bem como a sua importância naquele momento na obra que se erigia. Concitou-o a ter paciência com os mais jovens – levianos ou não – e conservar o bom ânimo.

Simão retornou aos seus afazeres com as suas energias retemperadas. Ao voltar à casa pobre, encontrou Tiago, filho de Cleofas, conversando à margem do lago com outros jovens e no calor da suas argumentações aludiu à idade de Simão.

 Embora não tenha se sentido – desta vez – ofendido ou magoado, oportunamente Simão procurou o impetuoso companheiro de luta. Com extraordinária brandura e lógica fez o jovem apóstolo entender que a idade era um aspecto irrelevante diante do desafio de edificar o reino de Deus no íntimo das criaturas.

Nessa noite, ao repousar, Simão teve um sonho arrebatador no qual ele “se encontrava com o Messias, no cume de um monte que se elevava em estranhas fulgurações”. Conforme relata o Espírito Humberto de Campos, Jesus o abraçou com carinho e lhe agradeceu “o fraterno esclarecimento fornecido a Tiago e pelo seu terno cuidado com duas crianças desconhecidas – que ele horas antes havia, de certa forma, salvado – por amor de seu nome”.

“O discípulo sentia-se venturoso naquele momento sublime. Jesus, do alto da colina prodigiosa, mostrava-lhe o mundo inteiro. Eram cidades e campos, mares e montanhas...

 Em seguida, o antigo pescador compreendeu que seus olhos assombrados divisavam o futuro. Ao lado de seu deslumbramento passava a imensa família humana. Todas as criaturas fitavam o Mestre, com os olhos agradecidos e refulgentes de amor [...].”

“Simão acordou, experimentando indefinível alegria.” Ao procurar Jesus para agradecê-lo com profunda humildade, ouviu-o dizer: “Em verdade, Simão, ser moço ou velho, no mundo, não interessa!... Antes de tudo, é preciso ser de Deus!...”

Parafraseando o Mestre inolvidável, é de somenos importância se somos altos ou baixos, gordos ou magros, bonitos ou feios; se somos negros, brancos, indígenas ou amarelos; se somos homens ou mulheres ou ainda se somos heterossexuais ou homossexuais.

 Fundamentalmente, o que importa é que tenhamos Deus em nossos corações!
Por fim, como espíritas, nos cabe o esforço de eliminarmos qualquer laivo de preconceito ou discriminação de dentro de nós, pois amanhã poderemos estar numa condição igual à daquele que hoje criticamos ou prejudicamos.  

Bibliografia: 
BACELLI, C. A. (Pelo Espírito Irmão José). Vigiai e orai. 4ª edição. Votuporanga, SP: Casa Editora Espírita “Pierre-Paul Didier”, 2002.
CARACTERÍSTICAS DO EMPREGO FORMAL, SEGUNDO A RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS – 2009. Disponível em: . Acessado em 23 out. 2010.

Postagens

MINHAS OBRAS " ÓLEO SOBRE TELA"

MINHAS OBRAS " ÓLEO SOBRE TELA"
Será um grande prazer recebê-lo (a) em minha Cominidade

Postagens populares

AÇÃO E REAÇÃO - ÁUDIO BOOK - ANDRÉ LUIS

INSTITUTO ANDRÉ LUIIZ- SITE ESPÍRITA

INSTITUTO ANDRÉ LUIIZ- SITE ESPÍRITA
CLIQUE NA IMAGEM E VEJA

MEU BADGE DA REDE AMIGO ESPÍRITA

MEU BADGE DO ANJO DE LUZ

MY BADGE DE KARDEK ON LINE

MEU BADGE DA REDE PORTAL DOS ANJOS E ESTRELAS DO AVALON

AUDIOBOOKS - FREE

Blog Ebooks Grátis

TOPO DE PÁGINA

Pegue este efeito no Site Tony Gifs Javas

PLACA

GOOGLE TRADUTOR

OUÇA A RÁDIO BOA NOVA AO VIVO

OUÇA A RÁDIO BOA NOVA AO VIVO
CLIQUE NA IMAGEM

Atalho do Facebook

VEJA MEU OUTRO SITE, CLIQUE NA IMAGEM

VEJA MEU OUTRO SITE,  CLIQUE NA IMAGEM
NAS ASAS DA NOVA ERA

ÁUDIO BOOK - ROMANCES - DRAMATIZAÇÃO

"Nosso Lar" retrata as condições da vida além-túmulo, objetivando comprovar a eternidade do Espírito, o estreito relacionamento entre os dois planos da vida e a riqueza das atividades desenvolvidas nas esferas invisíveis ao olhar humano. Em 50 capítulos, analisa e esclarece assuntos como: alimentação no Plano Espiritual; culto familiar; lei de causa-e-efeito; música; remuneração de serviço; e zonas inferiores. Narra experiência pessoal, destacando o encontro com a própria consciência como a maior surpresa diante da morte carnal. Comprova ser a Terra oficina sagrada onde o homem deve aprender a elevar-se, aproveitando dignamente a oportunidade que o Senhor lhe concedeu. "Fonte da sinopse-www.cveed.org.br"
Minisérie Nosso Lar, uma adaptação para radionovela.
Produção LBV, direitos autorais FEB.
Capítulos
Narrativa de O Evangelho Segundo o Espiritismo.
O Evangelho Segundo o Espiritismo compõe-se de 28 capítulos, 27 dos quais dedicados à explicação das máximas de Jesus, sua concordância com o espiritismo e a sua aplicação às diversas situações da vida.
O último capítulo (não presente nesta versão em áudio) apresenta uma coletânea de preces espíritas sem entretanto constituir um formulário absoluto. Os ensinamentos que contém são adaptáveis a todas as pátrias, comunidades e raças. É o código de princípios morais do Universo, que restabelece o ensino do Evangelho de Jesus, no seu verdadeiro sentido, isto é, em Espírito e Verdade. Sua leitura (audição) e estudo são imprescindíveis aos espíritas e a todos que se preocupam com a formação moral das criaturas, independente de crença religiosa.
É fonte inesgotável de sugestões para a construção de um Mundo de Paz e Fraternidade.
A versão original desta obra (em áudio) é composta de onze Cds, cada CD contem várias faixas.
Para facilitar o acesso e reduzir o número de arquivos decidimos então agrupar todas elas em um único arquivo,totalizando apenas onze.
Capítulos
Que são dois milênios no relógio da Eternidade? A humildade do Espírito Emmanuel nos proporciona esta narrativa da existência carnal em que foi o orgulhoso senador romano Públio Lentulus e obteve designação para alto cargo na Palestina, na época em que Jesus transmitia à Humanidade Seus ensinamentos imortais. Nesse livro mediúnico, o leitor sentir-se-á participante da História do Cristianismo no século I, do cotidiano das arrogantes e preconceituosas famílias patrícias, em contraponto com a simplicidade fraterna dos primeiros seguidores de Jesus e do comovente encontro entre o Cristo de Deus e o altivo representante de César. Pontuada por sofrimento e alegria, fortuna, esplendor e miséria, arrogância, abuso de poder e escravidão, resignada ou revoltada, seqüestros, raptos, vinganças, ciúmes, ódios, calúnias, crueldade e benevolência, brandura e perdão, temos a história do Senador Públio Lentulus, de sua filha e de sua amorosa esposa Lívia, convertida aos sublimes ensinamentos do Mestre Jesus. As anotações íntimas e depoimentos do Autor - Emmanuel - testemunham a necessidade, também no plano invisível, de esforço, paciência e fé raciocinada para lutar, resgatando nossas faltas passadas, a caminho da redenção
Capítulos

Arquivo do blog

PROGRAMA TRANSIÇÃO

PROGRAMA TRANSIÇÃO

PROGRAMA TRANSIÇÃO

QUER ASSISTIR AO PROGRAMA TRANSIÇÃO, CLIQUE ABAIXO
O PRÓPRIO LINK TRAZ O TEMA ABORDADO, ALÉM DO PALESTRANTE